Comboio histórico do início do século passado volta ao Douro

Por causa da pandemia, os lugares foram reduzidos em dois terços.

A CP iniciou este verão a campanha 2020 do comboio histórico no Douro. Todos os sábados até ao final de setembro haverá viagens da Régua até ao Tua, ida e volta, com uma paragem, a meio, no Pinhão. Por causa da COVID, há limitação de lugares. A primeira viagem do ano teve lotação esgotada e à falta de turistas estrangeiros, os portugueses encheram as cinco carruagens de madeira do início do século passado.

O comboio arranca poucos minutos depois das 15h32, hora prevista e logo todos ficam a saber, pela voz de Ana Portela, da CP, as características da máquina. "É um comboio composto por uma locomotiva Anshel and Zone e cinco carruagens históricas do início do século XX. Tudo recuperado em Portugal e posto a funcionar há mais de uma década".

Desde o ano passado que a agente turística da Maia, Mimosa Mendes andava com a ideia de fazer a viagem. Foi desta. Veio com a irmã. "E realmente está muito interessante. O ano passado o meu colega fez e este ano estou a fazer eu. As pessoas são simpáticas e a paisagem é deslumbrante."

A meio de duas carruagens, debruçados no parapeito da varanda de ferro e madeira, André Leal e o amigo de Famalicão comentam a paisagem e o momento. Sente-se a história, diz, "É o espírito e a tranquilidade que aqui se vive e, basicamente regressar aos tempos longínquos quando isto seria a única forma de viajar. Isto que estamos a fazer hoje era um luxo há bastantes anos. Este percurso é maravilhoso e acho que deveria ser mais alargado durante o ano".

Por causa da pandemia, os lugares foram reduzidos em dois terços. Alguns bancos das carruagens ainda são de madeira, tal como as janelas. Nádia Fernandes conseguiu bilhetes para a família toda. Vieram de Caminha: "A viagem está a ser fantástica. A paisagem é incrível, o comboio é maravilhoso. Está acorrer muito bem e as crianças estão a adorar. Viemos todos juntos para fazer uma experiência que está a ser inesquecível."

Os Rio ali ao lado, e as vinhas em frente não dão folga às máquinas fotográficas e aos telemóveis. Susana Ribeiro é da Póvoa de Varzim. Elogia a segurança da viagem e recomenda-a: "Já o estou a fazer, já estou a postar nas redes sociais as imagens. E estou a gostar muito e sugiro a toda a gente que venha porque é só até final de setembro."

Serão nove, sempre aos sábados. A viagem inaugural deste ano atípico contou também com Luís Pedro. O presidente do Turismo do Porto e Norte quer que os turistas que têm enchido o Porto venham até ao Douro e o comboio, diz, é um excelente atrativo: "Que aquela grande massa de turistas que fica pela área metropolitana do Porto possa subir para o douro. Este comboio é um grande motivo de atração e o trajeto que faz é um dos mais bonitos do país em ferrovia em contacto permanente com a natureza e com o rio."

O histórico voltará aos carris, no próximo sábado às 15h32, a partir da estação da Régua.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de