Constrangimentos do sistema de SMS atrasam vacinação nos centros de saúde

A primeira fase de vacinação devia terminar a 31 de março, mas já foi prolongada até ao final de abril.

A falha na entrega de vacinas tem sido um fator determinante para o atraso no plano vacinação, mas não só. O sistema de convocatória por SMS acarreta vários problemas logísticos que fazem com que alguns centros de saúde só consigam vacinar dois dias por semana.

O Diário de Notícias explica esta quinta-feira que as unidades de saúde recebem informações sobre o número de vacinas disponíveis para a semana seguinte às sextas-feiras, ao final do dia, pelo que só na segunda-feira começam a enviar as SMS que convocam os utentes para a vacinação.

No entanto, a convocatória através de mensagens só permite fazer agendamentos com quatro dias de intervalo, pelo que só na sexta-feira é que os utentes começam efetivamente a ser vacinados.

Além disso, por uma questão de confidencialidade, a seleção dos utentes tem de ser feita por profissionais de saúde, o que obriga grande parte da equipa a ocupar-se com estas funções, que habitualmente seriam atribuídas a outros profissionais que não os de saúde.

Outro problema: o sistema de SMS nem sempre é eficaz, sobretudo junto dos idosos, que muitas vezes não respondem à mensagem (os convocados devem responder à SMS indicando o seu número de utente e "SIM" caso aceitem tomar a vacina).

Também há unidades de saúde que não têm sequer um sistema de convocatória por SMS, pelo que têm de fazer todos os agendamentos por telefone.

Com todos estes constrangimentos, "há centros de saúde que chegam a ficar só com um dia ou dois na semana para vacinar utentes", diz ao DN o presidente da Associação Portuguesa de Medicina Geral e Familiar (APMGF).

Segundo o último balanço, Portugal recebeu 1 713 540 doses de vacinas distribuiu 1 462 079. A primeira dose já foi administrada a 942 825 pessoas, enquanto 471 204 pessoas já receberam as duas doses, o que corresponde a 61% da população que integra o grupo da primeira fase de vacinação.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de