Covid-19: Miguel Guimarães apela à vacinação de maiores de 60 anos até ao final do ano

O bastonário da Ordem dos Médicos, Miguel Guimarães, acredita que não será necessário vacinar toda a população contra a Covid-19, mas alerta para a necessidade de os maiores de 60 anos e os mais débeis serem vacinados até ao fim do ano.

"É preciso vacinar as pessoas para a gripe, é preciso vacinar as pessoas para a Covid-19 - pelo menos as mais frágeis -, e é preciso proteger as pessoas imunodeprimidas, porque são essas que têm morrido com Covid-19. Estou a falar de doentes transplantados, por exemplo, que deviam ter como meio de prevenção o acesso aos anticorpos monoclonais neutralizantes que já existem e que estão a ser usados de forma ampla em praticamente todos os países europeus. Em Portugal, porém, estão a ser utilizados apenas para tratamento e não para prevenção, quando a sua eficácia e prevenção de morte, funciona se usados antes da doença."

Miguel Guimarães defende que a prioridade deve ser vacinar "rapidamente todas as pessoas com mais de 60" - idealmente até ao fim do ano - antes de estender a vacinação a mais faixas etárias: "Acho que não vai ser necessário vacinar todas as pessoas, é importante é fazer um controlo adequado daquilo que está a acontecer. Enquanto a OMS não declarar o fim da pandemia, temos de manter uma vigilância apertada porque ainda estamos em pandemia. É importante lembrar as pessoas disto, é preciso que tenham esta noção, assim como quem controla a doença em Portugal também tem de ter esta noção. Só assim vamos ter dados que nos permitam dizer que se vacinarmos as pessoas mais suscetíveis a ter doença grave, nesta perspetiva, define-se o end-point de 60 anos e, portanto, há que vacinar esse grupo etário. Se é preciso descer ou não, depende muito da evolução da pandemia. Mas julgo que se fizermos isto rapidamente e se as pessoas forem vacinadas, provavelmente não teremos de vacinar mais pessoas além destas. "

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de