Cuidadores informais receberam apenas 8% dos apoios previstos pelo Governo

Dos 1635 pedidos de subsídio, 700 foram recusados. Havia 9,9 milhões de euros para destinar ao projeto-piloto, mas foram gastos apenas 797 mil euros.

Os cuidadores informais receberam apenas 8% dos subsídios previstos pelo Governo no projeto-piloto que abrangia cuidadores de 30 concelhos do país. Dos 1635 pedidos de subsídio, 700 foram recusados. Apenas 383 receberam aval positivo. Há ainda 552 pedidos que estão em análise pela Segurança Social.

O Governo tinha 9,9 milhões de euros para destinar ao projeto-piloto, tendo em vista o Estatuto do Cuidador Informal, mas gastou apenas 797 mil euros, noticia, esta quarta-feira, o jornal Público.

Os números revelados pelo jornal Público demonstram que a taxa de execução foi de 8%.

A Associação Nacional de Cuidadores Informais fala em demasiada burocracia para aceder ao subsídio.

Portugal tem, nesta altura, 977 cuidadores informais com o estatuto reconhecido, 797 dos quais fazem destes cuidados a sua ocupação principal.

No último ano, o Governo recebeu 2198 pedidos para reconhecimento do estatuto, que foi aprovado na Assembleia da República em 2019. No entanto, de acordo com os números divulgados, os efeitos dos apoios oficializados ainda não se fazem sentir.

O Ministério do Trabalho e Segurança Social garante que o Governo tem vindo a introduzir melhorias na lei.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de