Derrocada na Madeira. "Não haverá vítimas mortais", mas buscas prosseguem com cães

Miguel Albuquerque confirmou a derrocada, indicando que foram deslocados "todos os meios da Proteção Civil" para o local.

Uma derrocada de grande dimensão ocorreu este domingo na Praia Formosa, na zona da Praia do Arieiro, atingindo a 'promenade', sem provocar vítimas, disse fonte da Câmara Municipal do Funchal.

A mesma fonte adiantou que, segundo os Bombeiros Sapadores do Funchal, "não há mortos nem feridos".

Dado que aquela 'promenade' entre a Praia Formosa e Câmara de Lobos, na zona oeste do Funchal, é muito utilizada por pessoas para efetuarem caminhadas e, sendo um domingo, foram deslocados para o local "muitos meios de socorro".

O alerta foi dado às 19h03 deste domingo. "Foram mobilizados para o Teatro de Operações 7 ambulâncias, afetas aos bombeiros Sapadores do Funchal, Cruz Vermelha Portuguesa, Bombeiros Voluntários de Câmara de Lobos, e 2 equipas da EMIR, totalizando 41 operacionais", informou, em comunicado, o Serviço Regional de Proteção Civil.

Miguel Albuquerque, presidente do Governo Regional da Região Autónoma da Madeira, confirmou a derrocada, que ocorreu numa área da escarpa que não estava identificada como zona de risco. "Estamos a efetuar uma vistoria para identificar possíveis vítimas", disse, em declarações aos jornalistas, acrescentando que "tudo indica que não há vítimas".

"Deslocamos todos os meios da Proteção Civil para cá. Vamos fazer uma segunda vistoria com um cão, a primeira não identificou vítimas, felizmente", sublinhou.

No entanto, a Proteção Civil adiantou que há a registar dois feridos ligeiros, um adulto e uma criança, "que iam a passar", tendo sido transportados para o Hospital Dr. Nélio Mendonça, "por precaução para serem observadas".

Segundo a Proteção Civil, não há qualquer indicação para as causas do acidente. Alguns dos blocos pesam mais de 40 toneladas e só poderão ser removidos amanhã.

O Serviço Regional de Proteção Civil referiu também que no local continuam técnicos do Serviço Municipal de Proteção Civil do Funchal e de Câmara de Lobos, bem como a Autoridade Marítima, acrescentando que devido aos trabalhos que estão a ser realizados, "a zona mantém-se interdita".

A derrocada de grandes dimensões aconteceu na zona de uma das unidades hoteleiras, nas imediações de Santa Rita, atingindo o passeio marítimo entre a praia Formosa, zona oeste do Funchal, e o concelho contíguo de Câmara de Lobos, diariamente frequentado por centenas de pessoas.

* Notícia atualizada às 22h20

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de