Direção e jurisdição do PSD desentendem-se, fronteiras terrestre com Espanha não reabrem e outros destaques TSF

A direção do PSD considera que está a haver uma "perseguição primária aos principais representantes políticos do partido", admitindo recorrer a "todos os meios" jurídicos e políticos para "proteger o bom nome do partido".

A direção e a jurisdição do PSD não se entendem quanto à eutanásia. O Conselho Nacional de Jurisdição do PSD considerou que existe "matéria bastante para abertura de processo disciplinar" ao presidente do partido e ao líder parlamentar por violação de uma decisão do Congresso sobre eutanásia, faltando decidir as sanções. Em causa está uma participação (a segunda sobre a mesma matéria) enviada a este órgão, considerado o tribunal do partido, pelo militante de Braga Leonel Fernandes, dirigida contra Rui Rio e Adão Silva.

Mas não fica por aqui. A Comissão Permanente do PSD acusou o presidente da Jurisdição de promover um "processo político" com a matéria da eutanásia, admitindo recorrer a "todos os meios" jurídicos e políticos para "proteger o bom nome do partido". "Este é um processo político e não jurisdicional. Que constituí uma perseguição primária aos principais representantes políticos do nosso partido, sem paralelo na história do PSD", afirmou a Comissão Permanente do PSD.

No último dia da Cimeira Ibero-Americana, em Andorra, António Costa afastou o levantamento para breve das restrições de circulação nas fronteiras terrestres entre Portugal e Espanha, alegando que essa decisão será tomada apenas quando os dois países concluírem estarem reunidas as condições de segurança.

O dia fica também marcado pela decisão final do coletivo de juízes em relação ao caso de Valentina. O pai da menina, Sandro Bernardo, foi condenado à pena máxima de 25 anos de prisão pela morte da filha. Já a madrasta foi condenada a 18 anos e 9 meses. A pena única inclui vários crimes, incluindo o de homicídio qualificado, profanação de cadáver, abuso e simulação de sinais de perigo em coautoria, e de violência doméstica, apenas para o arguido. Quanto à companheira, a procuradora entendeu que "nada fez para impedir e não tinha nenhum impedimento".

Voltando a Andorra, no discurso de encerramento da reunião plenária de chefes de Estado e de Governo da Cimeira Ibero-Americana, o primeiro-ministro português afirmou que a humanidade precisa de um tratado para as pandemias, para uma reação coordenada durante as crises. António Costa pediu também um esforço comum para o combate à Covid-19, que passa pela vacinação de toda a população, principalmente a mais vulnerável.

No Algarve, procuram-se voluntários para vigiar linces ibéricos. O Instituto de Conservação da Natureza e Florestas procura quem tenha interesse e pelo menos três meses, a partir de maio, para ajudar a tomar conta de alguns dos 16 cercados, cada um com cerca de 30 linces. É tudo à distância, por videovigilância.

Por fim, os efeitos da pandemia na pobreza. Em entrevista à TSF, o secretário-geral da Organização dos Estados Ibero-americanos, Mariano Jabonero, congratulou-se pelo facto de a Cimeira Ibero-Americana se estar a realizar, tendo em conta "as circunstâncias que ocorreram com a pandemia", mas não negou os efeitos devastadores da Covid-19, que faz recuar significativamente este espaço geográfico e político. "São os efeitos mais graves num século. O declínio em termos da economia dos países da região, o nível do PIB retrocedeu dez anos, é uma década perdida em termos de impacto da pobreza. Regressámos ao patamar de pobreza de há quinze anos", admitiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de