Diretores de escolas aplaudem reforço de testes mas querem a vacina

O Governo anuncia o plano de desconfinamento na próxima quinta-feira. Há uma certeza: começará pelas escolas.

Os diretores de escolas estão satisfeitos com o anúncio de quase 20 milhões de euros para testes rápidos contra a Covid-19. O Governo aprovou este domingo a medida, numa altura em que se prepara o desconfinamento faseado. Para o presidente da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, o essencial é vacinar os professores e funcionários.

"É importante dar confiança às comunidades escolares e penso que esta medida dos testes rápidos é positiva nesse sentido. O passo decisivo na nossa opinião será priorizar os professores e os funcionários na toma da vacina. Os professores não querem passar à frente de ninguém, mas com critérios pela idade e também atendendo à localização esse será, de facto, o passo decisivo", diz à TSF Filinto Lima.

O desconfinamento, como já foi confirmado pelo Governo, começará pelas escolas, mas ainda não há uma data definitiva para o recomeço das aulas presenciais. Filinto Lima lembra que os poucos professores e não docentes que vão às escolas fazem já com regularidade testes rápidos.

"Esses testes vão ser aplicados de forma massiva a todos os professores e funcionários à medida que forem desconfinando, que nós não sabemos quando isso acontecerá. Estamos muito expectantes", explica Filinto Lima, que aguarda pela próxima quinta-feira, 11 de março, data do anúncio do plano de desconfinamento por parte do primeiro-ministro, António Costa.

Para esta segunda-feira está agendada a reunião entre especialistas e políticos no Infarmed.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de