Dirigentes escolares alertam que ainda há alunos sem computador durante pandemia

Governo tinha prometido que todos os alunos iriam contar com os meios necessários para aulas à distância e acesso a plataformas digitais.

O presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares, Manuel Pereira, considera que o 1.º período letivo correu melhor do que se esperava, mas que ainda há problemas por resolver.

Em declarações à TSF, Manuel Pereira atribui o sucesso deste primeiro período ao "trabalho de planificação" cuidadosamente feito pelas escolas, uma vez que muitas das promessas feitas pelo Governo continuam por cumprir. O presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares recorda que, em abril, o primeiro-ministro garantiu que haveria computadores para todos os alunos e universalidade no acesso às plataformas digitais, algo que, diz, ainda não se verifica.

"Apenas as escolas com ensino secundário receberam computadores e só para os alunos apoiados pela Ação Social Escolar. Todos os outros alunos não receberam qualquer computador até este momento", indica Manuel Pereira.

Também a internet "continua a ser um pequeno grande problema para a maior parte das escolas do país", e as aulas à distância "apenas acontecem porque os professores estão a recorrer à sua internet e aos seus portáteis. Não têm outra solução", constata.

E apesar de os 1500 assistentes operacionais prometidos há três meses pelo Governo terem sido efetivamente contratados e distribuídos pelas escolas, continuam a ser poucos, queixam-se os dirigentes escolares. É que "para além da falta crónica de assistentes operacionais, todos os dias alguns ficam em casa por ordem das autoridades de saúde", por terem estado em contacto com uma pessoa infetada, salienta o representante dos dirigentes escolares.

Sobre o atraso que a pandemia de Covid-19 veio trazer às aulas, Manuel Pereira afirma que os professores até conseguiram recuperar a matéria que tinha ficado por dar, mas que esta situação deixa sempre "marcas, em termos de aprendizagens".

O presidente da Associação Nacional de Dirigentes Escolares deixa, apesar de tudo, um elogio aos alunos, pela postura exemplar que têm mostrado, e diz-se otimista quanto ao 2.º período deste ano letivo.

"Os alunos deram um exemplo fantástico até aos próprios adultos (...). Demonstram que percebem exatamente o que está em causa", refere Manuel Pereira, para quem "a avaliação que se pode fazer até agora é positiva, assim como as expectativas para o próximo período".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de