"É falso." Autarca de Vieira do Minho nega ser arguido

António Cardoso afirmou que a Polícia Judiciária nada encontrou nas buscas.

António Cardoso, o presidente da Câmara Municipal de Vieira do Minho, garantiu que é absolutamente falso que tenha sido constituído arguido. Declarações feitas numa conferência de imprensa depois de as instalações da autarquia terem sido, esta quarta-feira, alvo de buscas por parte da Polícia Judiciária. Em causa está um caso de licenciamento em área protegida.

Há suspeitas de "crimes de corrupção, prevaricação e falsificação de documentos", mas o presidente da autarquia negou as acusações.

"É falso que eu tenha sido constituído arguido neste processo, conforme foi noticiado pela CMTV, agência Lusa e outros órgãos de comunicação social. Que tenha conhecimento, hoje também mais ninguém foi constituído arguido. Foram lançadas falsas suspeitas, pelos órgãos de comunicação social, à minha pessoa no envolvimento de vários licenciamentos, indicando que estava a ser acusado de corrupção, prevaricação e falsificação de documentos. É totalmente falso", sublinhou António Cardoso.

O presidente de Vieira do Minho afirmou que as buscas não tiveram resultados e afirmou ainda que o processo de licenciamento, que está na base da denúncia, decorreu dentro da legalidade.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de