Eleições na Ordem. Bastonário quer continuidade, oponente quer psicologia lecionada por psicólogos

Francisco Miranda Rodrigues sublinha que, em tempo de crise, a Ordem defendeu não só o interesse dos psicólogos, mas também soube responder às necessidades da população em geral. Já Sónia Rodrigues quer que os psicólogos sejam mais ouvidos.

O bastonário da Ordem dos Psicólogos, que se recandidata ao cargo, promete dar continuidade ao trabalho feito nos últimos quatro anos. Francisco Miranda Rodrigues sublinha que, em tempo de crise, a Ordem defendeu não só o interesse dos psicólogos, mas também soube responder às necessidades da população em geral.

"Queremos poder continuar a fazer aquilo que demonstrámos que somos capazes de fazer, que é responder muito rapidamente àquilo que não são só as necessidades dos psicólogos em situações de crise, como esta que vivemos, mas também de cada vez mais posicionar os psicólogos como pessoas que são absolutamente profissionais e centrais na resposta que o país de dar a desafios que vão muito além desta crise", assegura o bastonário, que prioriza ainda reforçar o papel que os psicólogos têm nas empresas.

Francisco Miranda Rodrigues quer que "as empresas percebam que utilizarem os serviços dos psicólogos é algo que já não se trata pura e simplesmente de poderem ter uma vantagem, mas também se trata de uma questão de sobrevivência para a maior parte das organizações".

Contra o atual bastonário concorre Sónia Rodrigues, psicóloga clínica com atividade na área da proteção à infância e do acolhimento residencial. Valorizar o papel do psicólogo é o principal objetivo da candidata, que sugere "uma mudança de paradigma", para que os psicólogos "passem a estar mais no centro e passem a ser ouvidos no que diz respeito à prevenção e promoção do bem-estar da população, da saúde".

Este objetivo, sublinha, tem particular preponderância já que "a OMS diz que, no século XXI, a grande pandemia vai ser a falta de saúde mental".

Outra das prioridades de Sónia Rodrigues é "fazer com que sejam os psicólogos a lecionar Psicologia no ensino secundário", uma medida que ilustra o "trabalho que tem de ser feito junto do poder político" para que melhor se compreenda as áreas de intervenção e do saber do psicólogo.

Decorrem esta sexta-feira as eleições para a Ordem dos Psicólogos. Os resultados definitivos devem ser conhecidos a 23 ou 24 de dezembro.

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de