Enfermeiros da urgência pediátrica de Gaia pedem escusa de responsabilidade

Ordem fala em "incapacidade de prestar cuidados seguros e de qualidade às crianças" e lembra que a pandemia veio tornar mais visível "a crónica" falta de recursos humanos.

Quase todos os enfermeiros do serviço de urgência pediátrica do hospital de Gaia pediram esta quarta-feira escusa de responsabilidade por "incapacidade de prestar cuidados seguros e de qualidade às crianças". É a primeira vez que isto acontece no Norte, segundo o presidente da secção regional da Ordem dos Enfermeiros.

"O serviço de urgência pediátrica do hospital de Gaia tem 22 enfermeiros e 21 assinaram a escusa de responsabilidade. Segundo a norma de dotações seguras da Ordem dos Enfermeiros, deveriam ser 40 enfermeiros. Quais são os motivos? São óbvios: incapacidade de prestar cuidados seguros e de qualidade às crianças", justifica João Paulo Carvalho.

"A nível do Norte, é a primeira vez que um serviço de atendimento pediátrico recorre a este mecanismo, o que nos tem também de preocupar, porque são crianças", acrescenta.

À TSF, o responsável aponta que a falta de recursos humanos "é crónica" que a pandemia "só veio tornar mais visível". "A verdade é que os serviços estão cronicamente sobredimensionados em termos de recursos humanos. esta pandemia vem trazer necessidades acrescidas, até em termos de complexidade cuidados, os enfermeiros e de uma forma geral, os profissionais de saúde, estão exaustos, estão muito cansados, estamos a falar de uma falta de 30 mil enfermeiros no Serviço Nacional de Saúde", frisa João Paulo Carvalho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de