Enfermeiros manifestam-se contra vínculos precários e salários injustos

A manifestação sai às 11h00 do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a praça dos Restauradores. Por causa da pandemia, apenas vão estar fisicamente presentes 300 dirigentes sindicais.

Os enfermeiros assinalam esta quarta-feira o dia internacional do enfermeiro com uma manifestação em Lisboa. O protesto foi marcado pelo Sindicato dos Enfermeiros Portugueses.

José Carlos Martins pede atenção do governo para reivindicações antigas, cuja lista começa pela progressão nas carreiras e que passa também pelos vínculos precários de muitos destes profissionais.

"Nós temos cerca de 60% dos enfermeiros em contrato individual de trabalho e e outros colegas com mais de 20 e tal anos de profissão que não lhes contaram o devido tempo e por isso estão injustamente posicionados em termos salariais", sustenta.

A manifestação sai às 11h00 do Marquês de Pombal, em Lisboa, para a praça dos Restauradores. Por causa da pandemia, apenas vão estar fisicamente presentes 300 dirigentes sindicais.

O primeiro-ministro, António Costa, saudou esta quarta-feira os enfermeiros e o seu "trabalho incansável" durante a pandemia, anunciando a publicação do despacho que prevê a contratação de 2.474 profissionais de saúde, entre os quais 1.366 enfermeiros.

"O SNS é construído pelos seus profissionais. Por isso, é esta quarta-feira publicado o despacho que prevê a contratação de mais 2.474 profissionais de saúde, entre os quais 1.366 enfermeiros. Prosseguimos a trajetória de reforço do SNS, que se revelou essencial na crise pandémica", escreveu António Costa na rede social Twitter.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de