Erros na prescrição de medicamentos para o cancro. EMA recomenda novas medidas

Entre as medidas adotadas estão a inclusão de um aviso na embalagem a destacar a forma de tomar o medicamento e a eliminação da possibilidade de dividir a dose.

A Agência Europeia do Medicamento recomenda novas medidas de segurança para evitar erros na prescrição e administração de medicamentos com metotrexato, indicado para casos de cancro e doenças inflamatórias, que já provocaram mortes, revelou o Infarmed.

Segundo a Autoridade Nacional para o Medicamento, entre as medidas adotadas estão a inclusão de um aviso na embalagem a destacar a forma de tomar o medicamento e a eliminação da possibilidade de dividir a dose.

"Na sequência de erros na prescrição, na dispensa e na administração destes medicamentos pelos doentes ou cuidadores, têm-se verificado situações em que os doentes com doenças inflamatórias tomam este medicamento todos os dias, em vez de semanalmente, o que tem levado à ocorrência de reações adversas graves, incluindo casos fatais", escreve o Infarmed.

Nas doenças inflamatórias, como a artrite e a psoríase, estes medicamentos são administrados uma vez por semana. Contudo, para determinados tipos de cancro, é necessária a administração mais frequente de doses superiores.

Os erros de prescrição e administração já eram conhecidos, mas os casos de reações graves continuam a ser reportados.

Para evitar estas situações, a Agência Europeia de Medicamento (EMA na sigla inglesa) e o Infarmed recomendam que estes medicamentos sejam apenas prescritos por clínicos com experiência na sua utilização e pedem que os médicos se certifiquem que o doente, ou o seu cuidador, compreende o esquema de administração.

Recomendam ainda que a forma em comprimido destes medicamentos seja disponibilizada em embalagens contendo blisters, e não em frascos (ou tubos), para permitir que os doentes façam o acompanhamento da toma semanal.

O metotrexato está indicado, dependendo da dose administrada, para o tratamento de doenças inflamatórias e para o tratamento de doenças oncológicas.

Em Portugal estão autorizados os seguintes medicamentos contendo metotrexato: Fauldexato, Jylamvo (oral), Ledertrexato (oral), Metex, Metex PEN, Metotrexato Accord, Metotrexato Actavis, Metotrexato Teva e Nordimet.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados