"Esperamos conseguir ultrapassar esta fase sem agravamento de medidas"

A ministra da Saúde explicou ainda que os residentes em lares serão vacinados nas próprias estruturas, enquanto os restantes receberão o reforço nos centros de saúde e centros de vacinação.

A ministra da Saúde, Marta Temido, disse esta sexta-feira que a expectativa do Governo é que Portugal consiga ultrapassar esta fase de maior circulação da Covid-19 sem que sejam agravadas as medidas de proteção da população.

"Temos expectativa de conseguir ultrapassar esta fase sem precisar de agravamento de medidas, apenas com a responsabilidade individual", avisou a ministra da Saúde.

Marta Temido também esclareceu a forma como os idosos vão receber a nova dose de reforço. "A população residente em estruturas residenciais para idosos, entre 100 mil e 120 mil, vão ser os primeiros a começar a ser revacinados na segunda-feira, vão ser vacinados nas suas estruturas de vacinação", enquanto "a população de mais de 80 anos que é autónoma e vive nos seus domicílios será vacinada junto dos cuidados de saúde primários e junto dos centros que ainda estão em funcionamento".

Relativamente à pressão atual nos hospitais, a ministra da Saúde diz que não há novas formas de a contrariar: "As medidas para responder a esta pressão são sempre as mesmas e de forma sistemática. Por um lado, os cuidados de saúde primários funcionarem e as linhas de saúde estarem mais disponíveis - tivemos nas últimas horas pressão na linha de saúde 24. Se for preciso poderemos escalar medidas."

A ministra da Saúde pede "prudência e autorresponsabilização", visto que "existe mais pressão sobre os serviços de saúde, mas a doença grave e as mortes manter-se-ão controladas".

Questionada sobre se o levantamento da obrigatoriedade das máscaras foi prematuro, Marta Temido mostra confiança nos portugueses: "Não creio. A adesão das pessoas é muito importante e as pessoas sempre nos acompanharam nestas medidas."

Já sobre a possibilidade de uma nova dose no outono, a ministra diz que "é uma das possibilidades".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de