"Está nas mãos de todos ajudar a controlar aquilo que está a acontecer"

Investigador do Instituto de Medicina Molecular sublinha que, nesta altura, ainda não é possível dizer se a nova variante é ou não responsável pelo aumento do número de casos de Covid-19.

Miguel Prudêncio, investigador do Instituto de Medicina Molecular, fez um apelo: é preciso ficar em casa. Só dessa forma será possível impedir o avanço da epidemia.

"É urgente e já vai tarde essa tomada de consciência de que está nas mãos de todos e de cada um ajudar a controlar aquilo que está a acontecer, porque agora as coisas estão a entrar numa falta de controlo que não é compatível nem com o garantir da vida de pessoas, nem com o garantir da sustentabilidade do nosso sistema de saúde. Portanto, a mensagem fundamental neste momento é: por favor, façam aquilo que as autoridades determinaram que deve ser feito. Fiquem confinados, fiquem em casa", apelou, em declarações à TSF, Miguel Prudêncio.

O investigador sublinha que, nesta altura, ainda não é possível dizer se a nova variante é ou não responsável pelo aumento do número de casos de Covid-19.

"Neste momento, não há dados que permitam dizer que é dominante, mas há dados que permitem dizer que ela está presente. Sendo mais contagiosa, como é comprovadamente o caso, é expectável que possa vir a tornar-se dominante num espaço de tempo relativamente curto", explicou o investigador do Instituto de Medicina Molecular.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de