Estado vai apoiar com 6500€ emigrantes que voltem para trabalhar no país

O Governo pretende sobretudo mão-de-obra qualificada para áreas onde faltam profissionais.

O Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP) vai oferecer aos emigrantes ou lusodescendentes que queriam voltar a Portugal para trabalhar um apoio que pode chegar aos 6536,4 euros, por família.

A notícia avançada pelo jornal Público adianta que a medida deve entrar em vigor no início do mês de julho. Poderão beneficiar da medida 1500 pessoas, sendo que o IEFP tem 10 milhões de euros destinados a este fim, em 2019.

A condição prévia para receber este apoio é um contrato de trabalho que seja assinado entre 1 de janeiro de 2019 e 31 de dezembro de 2020 e que dure pelo menos 12 meses, mas só é válido
para pessoas que tenham saído do país antes de 2016 e que tenham estado fora pelo menos um ano.

O Governo pretende sobretudo mão-de-obra qualificada para áreas onde faltam profissionais.

O IEFP começa por pagar 2614,56 euros de subsídio direto. A este valor podem juntar-se mais 10% por cada membro da família.

O custo da viagem também pode ser subsidiado até 1307 euros ao qual se soma a ajuda ao transporte de bens até 871,52 euros e o apoio aos custos de reconhecimento das qualificações até 435,76 euros.

Tudo somado e preenchidas todas as condições, o valor pode chegar aos 6536,4 e será pago em quatro vezes - metade do valor quando existir luz verde do IEFP, 25% no sétimo mês e os restantes 25% no final.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados