"Estão a proteger o SNS." Lacerda Sales destaca efeitos das medidas de prevenção

O secretário de Estado reconhece a "maior transmissibilidade" da Ómicron.

O secretário de Estado Adjunto e da Saúde, António Lacerda Sales, relata a informação prestada esta terça-feira pelo Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

"O INSA faz uma sequenciação em tempo real destas amostras e isso é muito importante. Parece que há uma maior transmissibilidade desta variante que pode indiciar que possa ser de transmissão comunitária", disse o secretário de Estado, à margem da cerimónia da tomada de posse do primeiro bastonário da Ordem dos Fisioterapeutas, António Lopes.

Ainda assim, António destaca que as medidas impostas nos últimos 14 dias estão a ser muito importantes para o Serviço Nacional de Saúde (SNS).

"Os internamentos são cerca mais 2% do que na semana passada. Cerca de mais 800 pessoas em internamento convencional e 140 em unidades de cuidados intensivos. O que significa que a baixa é residual em relação ao aumento. Isso significa que as medidas que têm 14 dias estão a proteger o SNS, os nossos profissionais e as nossas instituições de saúde. Isso é muito importante", explica António Lacerda Sales.

Nesse sentido, o secretário de Estado Adjunto e da Saúde pede um reforço "de um conjunto de atitudes e comportamentos" que já estão definidos há duas semanas, como a vacinação, a testagem, a utilização das máscaras, o distanciamento social e o controlo das fronteiras.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de