Ex-ministro Manuel Pinho detido após interrogatório

O advogado Ricardo Sá Fernandes classifica a situação como "um grave abuso de poder". Há um mandado de detenção emitido em nome de Alexandra Pinho, mulher do antigo governante.

O ex-ministro da Economia Manuel Pinho foi detido esta manhã após interrogatório em tribunal no âmbito do caso EDP. Foi também emitido um mandado de detenção em nome da mulher, Alexandra Pinho.

Ricardo Sá Fernandes, advogado de Manuel Pinho, lamenta toda esta situação. "Eu lamento isto que aconteceu. Acho que isto aconteceu porque o Ministério Público (MP) entende que, mudando o juiz de instrução criminal, tem condições para aplicar uma medida de coação que o outro juiz não teria", considerou, em declarações aos jornalistas à saída do Departamento Central de Investigação e Ação Penal.

"A Justiça não pode funcionar assim. Isto é uma situação de um grave abuso de poder. O Ministério Público não pode escolher os juízes que acha que lhe servem melhor os seus propósitos e, por isso, devo dizer, mantendo naturalmente toda a tranquilidade, que tenho muitos anos disto, já vi muita coisa na vida forense em Portugal, e esta é uma daquelas que eu achava que não iria ver. Um processo que está em investigação há 10 anos, os factos passaram-se há 15 e há 20 anos, Manuel Pinho compareceu sempre e nunca fugiu às suas responsabilidades e é agora objeto de detenção para ele e para a mulher", afirmou.

O Público adianta que a detenção do ex-ministro decorre de uma suspeita de risco de fuga.

O mandado de detenção para a mulher do ex-ministro da Economia Manuel Pinho, que foi detido esta terça-feira após comparecer para interrogatório no âmbito do caso EDP, ainda não foi executado, confirmou o advogado do casal.

Em declarações aos jornalistas à entrada para o Tribunal de Instrução Criminal, no Campus da Justiça (Lisboa), Ricardo Sá Fernandes evitou alongar-se em comentários, confirmando apenas que Manuel Pinho já estava nas instalações para ser presente ao juiz de instrução Carlos Alexandre, na sequência da detenção desta manhã no Departamento Central de Investigação e Ação Penal (DCIAP).

"A esposa não, só virá depois, mais tarde", afirmou o advogado. Questionado sobre a execução do mandado de detenção da mulher do antigo governante, Alexandra Pinho, Ricardo Sá Fernandes vincou ao início da tarde que não havia "nenhuma razão para ser".

Esta manhã, à saída do DCIAP, Ricardo Sá Fernandes adiantara que a mulher do antigo ministro socialista (entre 2005 e 2009) tinha uma diligência marcada para as 14h00.

Manuel Pinho foi constituído arguido no âmbito do caso EDP no verão de 2017, por suspeitas de corrupção e branqueamento de capitais, num processo relacionado com dinheiros provenientes do Grupo Espírito Santo.

*Notícia atualizada às 14h27

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de