Fachada da Assembleia da República ilumina-se de laranja pelo fim da violência contra as mulheres

Augusto Santos Silva considera que a Assembleia da República "não podia deixar de associar-se a este Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres dizendo presente".

O presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, anunciou esta sexta-feira que a fachada do parlamento vai iluminar-se de laranja pelo fim da violência contra as mulheres, representando o empenho do conjunto da sociedade portuguesa contra esse flagelo.

"A Assembleia da República, que representa todos os portugueses na sua diversidade, não podia deixar de associar-se a este Dia Internacional pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres dizendo presente. Faremos tudo que estiver ao nosso alcance para terminar este flagelo que é a violência contra as mulheres", declarou Santos Silva.

A segunda figura do Estado falava num vídeo publicado na sua conta oficial na rede social Twitter, em que é anunciada a iluminação da fachada da Assembleia da República de laranja como forma de o parlamento português se associar ao Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres, instituído pelas Nações Unidas.

"É de direitos humanos que se trata. A violência contra as mulheres é absolutamente inaceitável em qualquer das suas formas, física, psicológica e sexual", defendeu Santos Silva.

"A violência contra as mulheres é uma realidade dramática do mundo de hoje, também aqui em Portugal, mas é uma realidade que nós não podemos aceitar. A eliminação da violência contra as mulheres é uma responsabilidade de todos nós, das autoridades públicas mas também da sociedade civil, de cada uma e de cada um de nós", sustentou.

Também o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, e o primeiro-ministro, António Costa, assinalaram este dia instituído pelas Nações Unidas.

Numa mensagem publicada no sítio oficial da Presidência da República, Marcelo Rebelo de Sousa considerou que os números deste tipo de crime em Portugal "são hoje gritantes, assim como a ainda contínua desigualdade".

Marcelo Rebelo de Sousa pede a todos que combatam a violência contra as mulheres nas suas múltiplas formas.

Segundo o chefe de Estado, esta data convoca "à ação de todos os portugueses e portuguesas para que, de forma efetiva e permanente, sejam erradicadas todas as formas de agressão contra as mulheres".

Na rede social Twitter, o primeiro-ministro, António Costa, reafirmou a "prioridade do Governo" no combate à violência domestica, sublinhando o "reforço de verbas" no Orçamento do Estado para 2023 para a criação de mais estruturas de apoio.

"Reafirmo a prioridade do Governo no combate a este flagelo da violência doméstica. No OE2023 haverá um reforço de verbas para a criação de mais estruturas de apoio, mais respostas especializadas e novas valências para o apoio a todas as vítimas", escreveu António Costa.

No dia internacional para a eliminação da violência contra as mulheres que hoje se assinalada, o chefe do Governo fez uma outra publicação em que reitera "o apelo ao fim do silêncio de quem sofre agressões e ao fim da indiferença dos que as detetem".

"E repito o apelo a toda a comunidade a que se indigne perante qualquer tipo de violência", acrescentou o primeiro-ministro.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de