"Falhas pontuais." Gouveia e Melo garante que são poucos os centros de vacinação com problemas

O coordenador da task force para a vacinação contra a Covid-19 refere que há 300 centros para administração de vacinas em todo o país e que são raros os que precisam de reajustes.

O coordenador do plano de vacinação contra a Covid-19 garante que são muito poucos os centros onde se têm verificado alguns problemas, nomeadamente longas filas de espera. Gouveia e Melo visitou, esta manhã, o centro de Monte Abraão, em Sintra, onde essa situação tem sido verificada.

O vice-almirante explicou que estão em funcionamento 300 centros de vacinação para administração de vacinas e, deste conjunto, são raros os casos em que são necessários alguns reajustes. "Não há mudança de método de gestão, porque o método está acertado", afirma, sublinhando que, por dia, são dadas 100 mil vacinas.

"Se for ver quantos centros são e o que significam esses centros relativamente ao global, é uma quantidade muito diminuta de centros relativamente ao que nós damos por dia", acrescenta.

"Nós temos 300 centros a operar todos os dias. Portanto, aqui e ali há falhas pontuais. Não é o método em si que está mal, é a aplicação em alguns sítios desse método e é isso que nós viemos aqui analisar, para corrigir estes problemas que aparecem", afirma.

Para o coordenador da task force do plano de vacinação, "os problemas vão sempre aparecer ao longo de um processo tão complexo como este". "O que temos de fazer é, quando aparecer um problema, agir rapidamente para corrigir", remata.

Há 2.315.000 portugueses que já completaram o processo de vacinação contra a Covid-19, um número que representa 23% da população.

As pessoas com 43 ou mais anos de idade podem, desde segunda-feira, fazer o pedido de marcação para tomar a vacina na plataforma de auto agendamento da Direção-Geral da Saúde.

Gouveia e Melo definiu, recentemente, a meta de 8 de agosto para ter 70% da população portuguesa vacinada, mas salientou que o cumprimento desse objetivo depende do número de vacinas que forem chegando a Portugal.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de