Doentes oncológicos e cardíacos dos Açores falham consultas devido a falta de lugares na TAP

O secretário regional de Saúde, Clélio Meneses, considera que a TAP não está "a prestar um serviço de acordo com aquilo que é exigível a uma empresa que é a ligação dos açorianos ao continente". À TSF, a companhia aérea garante que "está a analisar o processo de forma a corrigir as prioridades de embarque geridas automaticamente pelo sistema".

A secretaria regional de saúde dos Açores vai entrar em contacto com a TAP para pedir satisfações sobre o caso dos passageiros que não embarcaram e que perderam consultas no continente.

A história foi denunciada esta terça-feira pela RTP Açores. De acordo com a estação pública, os passageiros tinham bilhetes comprados pelos serviços de saúde açorianos, mas, devido ao excesso da venda de bilhetes pela TAP, acabaram por não embarcar e por perder as consultas de cardiologia e de oncologia marcadas.

Numa resposta enviada à TSF, a TAP lamenta a situação, mas garante que "está a analisar o processo de forma a corrigir as prioridades de embarque geridas automaticamente pelo sistema".

A companhia aérea explica ainda que as "situações de Overbooking podem ter variadas causas, nomeadamente a mudança de versão da aeronave por razões técnicas, operacionais ou de outra natureza".

Em declarações à RTP Açores, o secretário regional de Saúde, Clélio Meneses assume que soube "da situação pela comunicação social", mas garante que vai contactar a companhia aérea para evitar que volte a acontecer uma situação semelhante.

"Vamos contactar a TAP no sentido de manifestar que não estão a prestar um serviço de acordo com aquilo que é exigível a uma empresa que é a ligação dos açorianos ao continente", considera.

À TSF, fonte oficial da secretaria regional de saúde afirmou que a situação é inédita no arquipélago.

Notícia atualizada às 19h35

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de