Falta de mão-de-obra em vários setores, fim do limite de lotação nos estádios e outros destaques TSF

Para ler ao meio-dia também o debate, no Parlamento, sobre a publicidade a jogos e apostas, a última fase de desconfinamento em Portugal, o cartão de cidadão que deixa de ser válido para entrar no Reino Unido e a condenação de Nicolas Sarkozy.

Entre os assuntos que marcaram a manhã desta quinta-feira, está a falta de mão-de-obra que afeta cada vez mais empresas portuguesas de vários setores. Os relatos são feitos à TSF por quem trabalha na área dos transportes de mercadorias, restauração e construção civil, ficando o alerta para um previsível aumento dos preços pagos pelos consumidores. A falta de mão-de-obra na restauração está a levar muitos restaurantes a não disponibilizarem mais mesas aos clientes.

Na ordem do dia está também a recomendação do fim do limite de lotação em recintos desportivos pela Direção-Geral da Saúde (DGS). É uma decisão que abre a porta ao regresso total dos adeptos aos estádios e restantes recintos desportivos. A DGS mantém, no entanto, a obrigatoriedade do uso da máscara facial e, para ter acesso, o adepto continua a ter que apresentar o certificado digital.

Hoje no Parlamento é dia de debate sobre os diplomas do Bloco, PCP, PAN e da deputada Cristina Rodrigues para proibir a publicidade a jogos e apostas entre as 07h00 e as 22h30. Enquanto PCP, PAN e a deputada não inscrita sugerem a proibição da publicidade a jogos e apostas, durante o dia até às 22h30, independentemente do meio onde é feita, o Bloco de Esquerda vai mais longe e, focando-se nas lotarias espontâneas, quer banir qualquer publicidade a este jogo.

Amanhã é dia 1 de outubro, o que significa que Portugal vai avançar para a última fase de desconfinamento. Entre as principais novidades está a reabertura de bares e discotecas e o fim das limitações de ocupação para lojas e restaurantes. O Village Underground, em Lisboa, abre as portas da sua sala de dança às 00h01 de sexta-feira, depois de "uma luta" de 18 meses para sobreviver.

Também a partir de amanhã, sexta-feira, na sequência do Brexit, os portugueses de visita ao Reino Unido deixam de poder usar apenas o cartão de cidadão para entrar no país, passando a ter de apresentar um passaporte biométrico. Há, no entanto, uma exceção para os europeus ou familiares com estatuto de residência no país, que vão poder continuar a usar os cartões de identidade para viajar até pelo menos 31 de dezembro de 2025.

Por fim, em França, o ex-Presidente francês Nicolas Sarkozy foi considerado culpado de financiamento ilegal na sua campanha de reeleição em 2012, sete meses depois de também ter sido condenado por tráfico de influências. O tribunal considerou que o antigo chefe de Estado francês beneficiou de um sistema de dupla contabilidade criado para poder ultrapassar os limites de despesas com a campanha impostos pela legislação francesa.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de