Fectrans quer que empresas garantam regresso de camionistas portugueses a tempo do Natal

Coordenador José Manuel Oliveira alerta para a necessidade de que estes trabalhadores não sejam duplamente penalizados ao estarem retidos e falharem o regresso a tempo do Natal.

A Federação dos Sindicatos de Transportes e Comunicações (Fectrans) pediu esta terça-feira medidas excecionais para garantir que os camionistas portugueses chegam a Portugal a tempo no Natal, apelando aos patrões do setor que as empresas promovam, a seu cargo, o transporte dos camionistas entre a fronteira portuguesa e os respetivos lares.

Em declarações à TSF, o coordenador da Fectrans, José Manuel Oliveira, defendeu que a medida impõe-se para evitar que os trabalhadores saiam duplamente penalizados desta situação.

"Por um lado estão já há muito tempo retidos na fronteira", nota o representante, que alerta para a necessidade de que estes motoristas não sejam "penalizados nesta quadra que é importante para qualquer pessoa, tendo em conta as tradições do país, e ainda mais para estes trabalhadores que estão muito tempo longe da família".

A solução proposta pela Fectrans é a de que as empresas garantam o transporte dos camionistas a partir da fronteira entre Espanha e Portugal mas, à TSF, José Manuel Oliveira admite outras soluções que estão ao alcance das empresas.

"Podem optar por, a partir do local onde os trabalhadores estão, criar outro transporte alternativo para chegarem cá a Portugal", nota o coordenador, que sublinha também que muitas destas empresas "têm bases noutros países" e podem, através delas, fazer chegar os trabalhadores ao país.

As autoridades francesas decidiram no domingo à noite encerrar a fronteira com o Reino Unido após a confirmação de uma nova variante de SARS-CoV-2, mais contagiosa.

Os cerca de mil camionistas que passaram a segunda noite no interior dos veículos parados no condado de Kent, sudeste de Inglaterra, continuam à espera de que a França reabra a fronteira do túnel do Canal da Mancha, encerrado devido à pandemia de Covid-19.

De acordo com o Governo britânico, 945 camiões de vários países estão parados perto do porto de Dover.

O diretor da Associação Britânica dos Transportes por Estrada (RHA, na sigla em inglês), Rod McKenzie, disse hoje que os condutores passaram a segunda noite na estrada e que muitos profissionais são motoristas da Europa continental que tentam "chegar a casa antes do dia de Natal".

A pandemia de Covid-19 provocou pelo menos 1.703.500 mortos resultantes de mais de 77,2 milhões de casos de infeção em todo o mundo, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 6.254 pessoas dos 378.656 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de