Fernando Araújo é o primeiro CEO do SNS, dados de Marcelo revelados em ataque à TAP e outros destaques TSF

A escolha foi anunciada esta sexta-feira após o nome do médico ter sido amplamente apontado como titular do cargo.

A direção executiva do Serviço Nacional de Saúde (SNS) já tem o primeiro diretor. É o médico Fernando Araújo, presidente do Centro Hospitalar Universitário de São João desde abril de 2019.

Essa direção será sediada no Porto, anunciou esta sexta-feira o ministro da Saúde, indicando que a proposta apresentada pelo novo diretor executivo está em linha com "a intenção descentralizadora do Governo".

Fique a conhecer melhor Fernando Araújo, que já foi secretário de Estado Adjunto da Saúde e que agora vai desempenhar uma função que gerou dúvidas e críticas por parte da Ordem dos Médicos, sindicatos e partidos políticos.

O que vai mudar no SNS com o novo Estatuto? O objetivo é que organize melhor o seu funcionamento, dê mais autonomia aos hospitais e garanta maior motivação aos seus profissionais. Saiba tudo aqui:

Na sessão solene comemorativa do Bicentenário do Constitucionalismo em Portugal, no Parlamento, o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, exigiu responsabilidades aos políticos "para que o povo nunca caia na tentação de preferir a ditadura a democracia" ou "o totalitarismo à liberdade".

Já o presidente da Assembleia da República, Augusto Santos Silva, defendeu que os democratas de Abril são politicamente liberais e que a revolução vintista e a Constituição de 1822 se inscrevem na corrente pela liberdade, contra a intolerância e autocracia.

Todos os partidos com representação parlamentar discursaram durante a cerimónia. Leia aqui o que disseram:

Salário médio muito próximo do salário mínimo, trabalhadores a perderem poder de compra e empresas pouco dispostas a aumentar salários. Para a UGT, a linha vermelha que não pode ser ultrapassada na negociação de aumentos salariais é de 7%. A central sindical dá primazia ao "diálogo e à concertação", mas avisa que os protestos na rua não são monopólio da CGTP. Nesta entrevista à TSF e ao Diário de Notícias, Mário Mourão admite que é preciso fazer uma profunda reflexão sobre o sindicalismo atual e avisa que o governo, nos apoios que está a conceder, "não pode deixar ninguém para trás".

Sobre a carga fiscal, Mário Mourão avisa que "é preciso aliviar, mas também para as famílias" e não só para as empresas.

Avisa também que a rua não é um monopólio da CGTP e que, se for necessário, a UGT e os sindicatos a si afetos estão prontos a usá-la como palco.

Presidência da República confirmou que os hackers que fizeram o ataque informático à TAP divulgaram "dados privados" de Marcelo Rebelo de Sousa e que o Presidente já foi informado da partilha de informações.

No futebol, o sorteio da Taça da Liga ditou que o Benfica fosse o único dos três grandes a ficar com apenas equipas da II Liga no seu grupo da primeira fase da Taça da Liga de futebol. Os encarnados ficaram integrados no grupo C, juntamente com Estrela da Amadora, Moreirense e Penafiel, enquanto o Sporting, detentor do troféu, ficou inserido no grupo B, com os também primodivisionários Marítimo e Rio Ave e o secundário Farense.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de