Fernando Medina quer substituir Airbnb por rendas acessíveis e casas para trabalhadores essenciais

O presidente da autarquia de Lisboa espera que o período pós-pandemia seja um tempo novo para Lisboa. Projeta uma cidade com menos turismo local de curta duração, mais espaços com rendas acessíveis. Mas espera também que os turistas regressem logo após a normalidade.

O presidente da Câmara Municipal de Lisboa anuncia no jornal britânico The Independent a vontade da autarquia em fazer regressar à cidade milhares de habitantes perdidos nos últimos anos para o turismo local. Fernando Medina considera que o período pós-pandemia deve ser aproveitado pelas cidades para reduzir o número de fogos destinados ao arrendamento de curta duração, fazendo voltar à cidade trabalhadores que deixaram Lisboa nas últimas décadas.

Num artigo de opinião assinado no jornal The Independent, Fernando Medina defende a criação de mais espaços de habitação com rendas acessíveis, e anuncia que está a trabalhar de forma próxima com empresas privadas para renovar muitos dos edifícios negligenciados de Lisboa, para que no futuro, estes espaços possam, também eles, receber novos habitantes.

"Lisboa beneficiou enormemente de milhões de turistas nos ano mais recentes", mas, diz Fernando Medina, "milhares de trabalhadores locais foram obrigados a deixar as habitações na cidade onde proliferaram as habitações de turismo local de curta duração - ao estilo da aplicação Airbnb", considera o presidente da Câmara Municipal de Lisboa.

"Agora queremos trazer as pessoas da cidade de volta à vida de Lisboa", assegura o autarca, uma cidade que, diz, será no futuro mais verde.

Por isso, justifica o autarca, Lisboa tem como prioridade garantir habitação com rendas acessíveis para trabalhadores dos hospitais, dos transportes, professores e outros milhares de postos de trabalho essenciais para a vida da cidade.

Fernando Medina espera, no entanto, que também os turistas regressem à cidade em breve. "Isto não significa que não queremos os turistas de volta à cidade o mais rápido possível", considera.

Anuncia ainda que está a trabalhar de perto com autarcas de cidades como Milão, Melbourne, Freetown e Seul para conseguir mudar a face das cidades no pós-pandemia, outras cidades da rede C40 para determinar como pode ser feita uma recuperação verde e justa da pandemia da covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de