Festival junta mais de 40 restaurantes e 3500 pessoas para comerem rancho de Mirandela

Esgotaram as inscrições para degustar a iguaria transmontana confecionada por 44 restaurantes aderentes ao festival gastronómico, em modo take-away.

No próximo sábado, mais de 3500 pessoas vão ter à mesa para almoço, rancho de Mirandela, de borla, confecionado por 44 restaurantes daquele concelho do distrito de Bragança.

Pelo segundo ano consecutivo, o festival gastronómico volta a realizar-se em modo take-away, já que a pandemia não aconselha o ajuntamento de milhares de pessoas.

As inscrições para degustar o rancho podiam ser feitas entre a passada segunda-feira e esta quinta-feira, mas, na quarta-feira, as 3545 reservas já tinham esgotado. "É verdade, nem chegou ao fim do tempo limite para inscrições, porque já se esgotaram. Tivemos mais restaurantes envolvidos, foram 44 de todo o concelho, e também é uma oportunidade para divulgar os restaurantes por toda a população. Voltou a ser uma iniciativa que se revelou mais uma vez de grande interesse sob o ponto de vista económico e da envolvência da população, não só do concelho, porque também tivemos inscrições de pessoas de outras localidades", revela o vereador do Município, Vítor Correia.

Por Mirandela, é tradição o rancho fazer parte da ementa de praticamente toda a restauração, nos dias da feira semanal, ou seja, todas as quintas-feiras.

Bem cedinho, Noémia Lemos, proprietária e cozinheira do restaurante Batalhão, o primeiro a esgotar as inscrições, já anda de volta das panelas para perto do meio-dia, poder ter pronto o famoso rancho. Um ritual que acontece há mais de 15 anos. "Comecei a fazer cerca de dez litros, foi aumentando e já houve feiras em que não chegaram dois potes de 160 litros cada", conta.

Em dias de casa cheia e encomendas, tem de contar com 20 kg de grão-de-bico, carne de vitela, batatas, 10 kg de presunto e ainda 40 pacotes de massa. "A única coisa feita no dia anterior são as batatas descascadas e o grão-de-bico de molho. No dia seguinte, é meter o grão a cozer, as carnes, que depois são desfeitas. Após o grão estar cozido, introduzo as carnes, a batata e a massa", refere. "Não tenho segredo nenhum. Não utilizo a água do presunto, mas antes a água do grão e da vitela. À parte faço um estrugido com azeite, cebola e chouriço", diz. O preço também é convidativo. "Uma dose fica em cinco euros, dá para duas pessoas e sobra."

No sábado, mais de três mil pessoas vão comer este prato típico de Mirandela, gratuitamente, no festival gastronómico em modo take-away.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de