Fim de semana de marginais cheias nos primeiros dias do confinamento

As imagens de marginais e locais públicos cheios de pessoas marcaram o segundo dia de confinamento geral.

No sábado, foi confirmada a tendência que a empresa PSE, que faz estudos de mobilidade, já tinha assinalado. O analista de dados Nuno Santos adiantou que na sexta-feira 60% das pessoas não tinha ficado em casa. As imagens recolhidas em alguns pontos do país demonstram que grande parte dos portugueses saíram à rua para aproveitar o dia de sol.

As medidas do Governo tiveram um impacto muito reduzido no comportamento dos cidadãos, alerta a empresa PSE. "O que tivemos foi um confinamento de 39,5% da população", disse Nuno Santos, em declarações à TSF. Trata-se de um número reduzido, quando comparado com o "valor natural de confinamento", isto é, com as estatísticas dos dias que precederam o novo regime mais restritivo. Na quinta-feira, o confinamento tinha sido de 33%. "Nós já sabemos hoje que existe uma fatia da população que está sempre em confinamento."

"O impacto do confinamento, pelo menos na sexta-feira, foi muitíssimo reduzido; isto, se quisermos comparar com os níveis de confinamento que tivemos em março e em abril", garantiu, nessa altura, o analista de dados, fazendo referência a uma altura em que a média, em dias úteis, chegou aos 60% de confinamento, e o máximo se fixou nos 70%.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de