Fogo de Vila Real sofreu reativação na serra do Alvão

A reativação está a ser combatida com seis meios aéreos.

O incêndio que deflagrou domingo na Samardã, em Vila Real, e que entrou em fase de resolução na manhã desta quarta-feira, sofreu uma reativação durante a tarde, segundo fonte da Proteção Civil.

A reativação ocorreu próximo da aldeia de Cravelas, aldeia localizada na serra do Alvão, e está a ser combatida com a ajuda de seis meios aéreos.

Espalhados pelo terreno, segundo o site da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, permaneciam 436 operacionais e 123 viaturas pelas 16h10.

O incêndio que deflagrou domingo, na zona da Samardã, entrou em resolução às 11h26 desta quarta-feira e, já durante a tarde, sofreu uma reativação de, segundo a fonte, "média intensidade" na zona de Cravelas.

No entanto pelo perímetro percorrido pelo fogo são visíveis vários focos de fumo.

No briefing das 13h00, o comandante distrital de operações de socorro (CODIS) de Vila Real, Miguel Fonseca, afirmou que os meios se iam manter no terreno durante todo o dia atentos aos "pontos quentes" para evitar reativações, ou caso elas acontecessem atuar e as debelar "de imediato".

No teatro de operações estão bombeiros, elementos da GNR, do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) e as Forças Armadas, com cerca de 60 militares (dois pelotões do Exército e um da Marinha) que se vão concentrar nas operações de rescaldo e vigilância.

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, contabilizou hoje uma área ardida de cerca de seis mil hectares.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de