Foi apenas papel. Estudo do SIRESP não é mesmo do Instituto de Telecomunicações

Presidente do grupo de trabalho nomeado pelo Governo diz que não tinha meios e acabou por usar o papel do instituto onde trabalha, que nada tem a ver com o estudo.

O presidente do grupo de trabalho nomeado pelo Governo para avaliar o Sistema Integrado de Redes de Emergência e Segurança de Portugal (SIRESP) admite que o estudo, até aqui apresentado como tendo sido feito pelo Instituto de Telecomunicações (IT), não é, afinal, deste instituto.

A presença do símbolo do IT no relatório enviado ao Governo e entregue ao Parlamento, além dos símbolos de várias universidades parceiras e até de uma empresa do grupo Altice (que também faz parte do IT) tem gerado polémica.

A Altice vai mesmo avançar para os tribunais e a Universidade de Aveiro já tinha pedido esclarecimentos pois garante que o estudo nada tem a ver com o IT.

Agora, o presidente do grupo de trabalho confirma à TSF que de facto o estudo não foi feito pelo IT.

Carlos Salema diz que a explicação para a presença dos vários logótipos é simples: o despacho dos secretários de Estado que cria o grupo de trabalho não indica nenhuma instituição que lhe dê apoio logístico. Resultado: as reuniões foram feitas no IT, de que Carlos Salema é presidente, e também foram usados os computadores, as fotocópias, o papel e até a capa do instituto.

Carlos Salema sublinha que "não receberam um tostão pelo trabalho" e que foi a razão anterior que levou o estudo a ter os logótipos do IT e das várias universidades e empresas associadas, apesar deste instituto (e destas entidades) não terem nada a ver com o relatório.

Carlos Salema diz que as pessoas trabalharam a título individual e apenas usaram o papel e a capa do IT sendo que este nada tem a ver com o trabalho para além de que três das pessoas que o executaram fazem parte do IT.

"Talvez devêssemos ter usado uma capa diferente, mas com a pressa que nos pediram para fazer isto... tendo em conta que tivemos menos de um mês... e depois estão preocupadíssimos com a capa...", afirma o professor do Instituto Superior Técnico e também presidente da Academia das Ciências.

Aceitando ter sido um erro ou um equívoco, Carlos Salema diz, no entanto, que a Altice se está a agarrar a algo que "não vale nada" e que preferia que se fizesse uma crítica ao conteúdo e não à capa, deixando uma pergunta: "Se o estudo dissesse muito bem do trabalho da Altice acha que eles diziam alguma coisa?"

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de

Outros Artigos Recomendados