"Forma de cálculo é vergonhosa." Bastam 9 infetados para Moura passar linha vermelha

Presidente da Câmara de Moura garante que o concelho tem feito de tudo e tem as cadeias de transmissão plenamente identificadas.

O concelho de Moura tem, esta segunda-feira, 24 casos ativos. Bastam apenas nove para que seja ultrapassada a linha vermelha. Para Álvaro Azedo, presidente da câmara da localidade, a forma de cálculo para o desconfinamento é vergonhosa e não faz justiça aos esforços dos pequenos municípios.

"Temos 24 casos ativos à data de hoje, ainda não sabemos o que a Páscoa nos trouxe. Para ficarmos numa situação difícil, o amarelo, faltam 16 pessoas. Para ficarmos no vermelho faltam-nos 33. Esta forma de cálculo é vergonhosa e a forma como tratam os municípios mais pequenos coloca-nos num patamar onde não devíamos estar", explicou à TSF Álvaro Azedo.

O concelho tem feito de tudo e tem cadeias de transmissão plenamente identificadas. O problema não é a testagem, é a forma de cálculo.

"Fazemos testagem desde sempre, só por conta da câmara já fizemos uns quatro mil testes. A autoridade de saúde pública, sempre que foi necessário, até foi para lá da regra, como por exemplo quando tivemos este problema, entre 17 e 30 de março, que levantou tanta celeuma e nos colocou na lista negra do país. Fez-se a testagem que se tinha de fazer, identificaram-se as cadeias de transmissão, quem tinha de ficar em casa ficou em casa, quem teve de fazer tratamento fez tratamento", afirmou o presidente da Câmara de Moura.

O autarca lembra que o efeito da pandemia em Moura é devastador e assim vai continuar se o concelho não conseguir avançar no desconfinamento.

"Que impacto é que tem na economia se não evoluirmos, um município pequenino como o de Moura, que vive do pequeno comércio e das suas microempresas? Tem sido devastador. É preciso olhar para o país de uma forma diferente porque também lutamos contra a pandemia de uma forma diferente, de uma forma muito mais organizada do que outros municípios de maior dimensão", acrescentou Álvaro Azedo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de