Fraude documental no aeroporto de Lisboa aumenta mais de 100%

Praticamente todas as detenções "em flagrante delito registadas respeitam a fraude documental".

A fraude documental no aeroporto de Lisboa aumentou mais de 100% no primeiro trimestre do ano, tendo sido abertos "70 processos-crime, dos quais 63 correspondem a detenções em flagrante delito", adiantou o SEF em comunicado.

"No primeiro trimestre deste ano, o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) registou na fronteira aérea do Aeroporto de Lisboa 70 processos-crime, dos quais 63 correspondem a detenções em flagrante delito, representando, assim, um incremento em mais de 100% da criminalidade registada, considerando o período homólogo ao longo da última década", adianta esta força policial em comunicado hoje divulgado.

Segundo a nota, "95% das detenções em flagrante delito registadas respeitam a fraude documental, designadamente através do uso de documentos falsificados e alheios".

"Auxílio à imigração ilegal e cumprimento de mandados de detenção representam a restante criminalidade detetada", acrescenta-se.

O SEF precisa ainda que "89% das detenções em flagrante delito, entre janeiro e março deste ano, estão associadas ao fenómeno da migração que tem como destino final os Estados Unidos da América (via Cancún), Canadá e o Reino Unido".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de