Governo anuncia estudo de imunidade em lares de idosos

O Governo pretende perceber a "duração dos efeitos da vacina nesta população, através da análise da imunidade dos idosos mais vulneráveis que já receberam a vacina, comparando-a com a dos funcionários vacinados na mesma altura".

É um estudo que se encontra em preparação há várias semanas. O Executivo vai promover uma análise serológica a uma amostra de cinco mil funcionários e utentes dos lares, explica este sábado a Tutela, em comunicado às redações.

A participação no estudo é voluntária, e o projeto será iniciado ainda neste mês de agosto, nas regiões do Algarve e Alentejo. O Algarve Biomedical Center, uma das entidades responsáveis, entrará em contacto com todas as instituições destas regiões do Sul do país, para averiguar quais quererão participar, até ser atingida a meta de cinco mil participantes. Os testes serão gratuitos para as instituições.

O objetivo do Governo percecionar a "duração dos efeitos da vacina nesta população, através da análise da imunidade dos idosos mais vulneráveis que já receberam a vacina, comparando-a com a dos funcionários vacinados na mesma altura". Os resultados do estudo, do Algarve Biomedical Center (ABC) e da Fundação Champalimaud, serão divulgados em setembro.

De acordo com o Executivo, "os resultados do estudo serão partilhados com as autoridades de saúde e poderão contribuir para decisões futuras".

Foram já vacinados 99% dos idosos nos lares e 97% dos funcionários, faltando ainda mil utentes, "a esmagadora maioria dos quais (cerca de 90%) por terem estado infetados com Covid-19, estando a aguardar o final dos 90 dias para poderem tomar a vacina".

Estão ainda em falta 2100 funcionários. Destes, 70% encontram-se a recuperar de infeção por SARS-CoV-2. "Os restantes não tomaram ainda a vacina por serem novas contratações ou por terem razões de saúde que desaconselham a vacina", explica o Governo.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de