"Governo não tem respeito." Manifestantes acorrentados no Campo Pequeno querem regresso das touradas

Associação a favor das corridas de touros convocou ações de protesto para o Campo Pequeno.

Um grupo de toureiros acorrentou-se na manhã desta segunda-feira a um portão da praça do Campo Pequeno, em Lisboa. Os manifestantes querem o regresso das corridas de touros a partir de 15 de junho e acusam o Governo de não tratar o setor com igualdade.

Com vários eventos cancelados por todo o país, devido à propagação da Covid-19, o Executivo de António Costa ainda não autorizou o regresso das touradas, apesar de outros espetáculos nas praças de touros estarem permitidos.

A associação a favor das corridas de touros, ProToiro, lembra que os toureiros estão a passar por grandes dificuldades. Hélder Milheiro, dirigente da associação, acusa o Governo de desrespeitar a tauromaquia.

"Os toureiros acharam que era o momento de dizer "basta!". Têm vida, família, estruturas para pagar, e o setor está a ter perdas enormes. É uma situação muito drástica e não temos o respeito, nem a consideração por parte do Governo, que está obrigado ao cumprimento da lei de igualdade a todos os cidadãos", avisa.

A ProToiro estima perdas de cinco milhões de euros para o setor, só em bilheteira. Hélder Milheiro afirma que não compreende por que razão as praças de touros podem abrir para espetáculos, à exceção da tauromaquia. "É um absurdo completo. O Executivo desrespeita a tauromaquia de uma forma inadmissível."

Depois da primeira ronda de manifestações, esta tarde a associação volta a juntar-se. A partir das 18h00, no Campo Pequeno, haverá um novo protesto, com a organização uma grande afluência de artistas, "respeitando as normas da Direção-Geral da Saúde".

Hélder Milheiro lembra que, na noite desta segunda-feira, o Campo Pequeno vai receber um espetáculo de comédia, com a presença de dirigentes políticos. Os toureiros querem, por isso, "fazer ouvir a sua voz".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de