Graça Freitas aconselha uso de máscara e diz que 20% dos lares já receberam quarta dose

A diretora-geral da Saúde rejeita a ideia de se generalizar a quarta dose, pelo menos com a atual geração de vacinas.

A diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, anunciou esta quinta-feira que 20% dos lares de idosos elegíveis já receberam a segunda dose de reforço da vacina contra a Covid-19 e está contente com o início da vacinação.

"Eu acho que não se iniciou mal, 20% dos lares elegíveis já estão vacinados. O processo tem estado a correr bem e vai intensificar-se nas próximas semanas", disse Graça Freitas em entrevista à TVI.

A diretora-geral da Saúde rejeita que o segundo reforço, ou quarta dose, se torne universal, pelo menos com esta geração de vacinas: "Nós já fizemos uma vacinação global e agora estamos numa estratégia de proteção de vulneráveis."

Relativamente à utilização de máscara, Graça Freitas considera que não precisa de ser obrigatória, mas deixa um recado.

"Eu creio que nesta fase uma recomendação é suficiente. No fundo, qual é a grande diferença entre uma recomendação e uma obrigação? É uma boa prática. Uma tem um caráter vinculativo, a outra ponho-o a participar na decisão. Mas a máscara é aconselhada", afirma, realçando que a máscara deve ser usada em "ambientes fechados e em aglomerados", incluindo "ambientes laborais".

Questionada sobre a hepatite aguda em crianças, Graça Freitas diz que "o suspeito principal é o adenovírus", mas não pode pôr de parte a intervenção da Covid-19, porque "neste momento é mesmo prematuro".

"Temos de estudar, ver os padrões, perceber o papel de cada vírus envolvidos e estamos nessa pesquisa a nível de todos os países que tiveram casos", refere a diretora-geral da Saúde.

Quanto à varíola dos macacos Graça Freitas revela que Portugal tem "o maior número [de infeções]", porque tem "uma ótima capacidade de deteção e investigação".

"Até à data nós não encontramos relação entre os vários focos", concluiu.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de