Greve dos oficiais de justiça adia leitura do acórdão do processo E-toupeira

Ainda não está definida uma nova data para o julgamento.

A leitura do acórdão do julgamento do processo E-toupeira foi esta quarta-feira adiada devido à greve dos oficiais de justiça, confirmou fonte do Juízo Central Criminal de Lisboa, não tendo ficado definida uma nova data.

A divulgação da decisão do tribunal relativamente ao processo E-toupeira sofreu já vários adiamentos, uma vez que a leitura do acórdão já esteve marcada para 4 de novembro de 2022 e foi sucessivamente adiada para os dias 9, 23 e 25 de janeiro. Assim, os arguidos Paulo Gonçalves, José Augusto Silva e Júlio Loureiro continuam sem conhecer o acórdão.

O caso E-toupeira remonta a 2018, quando o Ministério Público acusou o antigo assessor jurídico do Benfica Paulo Gonçalves, os funcionários judiciais José Augusto Silva e Júlio Loureiro e a SAD do Benfica de vários crimes. Contudo, em dezembro desse ano, a decisão instrutória acabou por não pronunciar para julgamento a SAD encarnada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de