Greve no Hospital de Braga. Cirurgias, exames e consultas em risco

Os profissionais do hospital lamentam que a paralisação aconteça num momento em que o país combate o surto de Covid-19, mas culpam o Governo e a administração do hospital por não resolverem os problemas atempadamente.

As consultas externas, os exames e as cirurgias programadas no Hospital de Braga podem ter de ser adiadas. Os trabalhadores do hospital estão em greve esta terça-feira e na próxima quinta-feira, em protesto contra a falta de um acordo coletivo de trabalho.

Em declarações à TSF, Orlando Gonçalves, coordenador do Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Norte explica que a paralisação irá afetar vários serviços. "Não irão realizar-se cirurgias programadas - aquelas que são de urgência, como é óbvio, estão asseguradas pelos serviços mínimos - e haverá os transtornos normais de um dia de greve", referiu o sindicalista, apontando que entre os serviços mais atingidos pela paralisação deverão estar ainda as consultas externas, as colheitas de sangue e os exames de diagnóstico.

Esta greve dos assistentes técnicos do Hospital de Braga esteve para ser desconvocada depois da administração hospitalar ter anunciado que pretende aderir ao acordo coletivo de trabalho, mas o hospital não se comprometeu com uma data de adesão ao acordo, pelo que os funcionários decidiram manter a greve.

"Havendo uma data e se essa data fosse aceitável, naturalmente, desconvocaríamos a greve. O hospital está a fazer finca-pé e, portanto, não havendo uma data prevista para a assinatura do acordo coletivo, também não poderá haver a desconvocação da greve agendada para esta semana", frisou Orlando Gonçalves.

Os profissionais do hospital lamentam que esta greve aconteça num momento em que o país combate o surto de Covid-19, mas defendem que cabe ao Governo resolver a situação, solucionando os conflitos com os trabalhadores.

"É de lamentar esta situação, sendo o Hospital de Braga um hospital de referência na epidemia do coronavírus. Pensamos que o Governo e a própria administração do hospital deveriam ter sido mais céleres e ter procurado a solução do problema, no sentido de evitar esta greve", afirmou Orlando Gonçalves.

"Se não há qualquer tipo de vontade em resolver a situação, não são os trabalhadores que têm a obrigação de se preocupar com o vírus", atirou o representante sindical.

A greve desta terça-feira é acompanhada de uma manifestação frente ao Hospital de Braga. Na quinta-feira, os trabalhadores vão protestar em frente ao Ministério da Saúde, em Lisboa.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de