Há 27 voos cancelados em Lisboa esta terça-feira. Porto e Madeira também com constrangimentos

Em Lisboa, há 16 chegadas e 11 partidas que não se vão realizar. No Porto há já quatro voos cancelados e na Madeira dois.

Os constrangimentos nos aeroportos continuam. De acordo com os dados divulgados no site da ANA - Aeroportos de Portugal, esta terça-feira, já foram cancelados 27 voos em Lisboa, entre os quais 16 chegadas e 11 partidas. A maioria destes voos cancelados pertence à TAP. Também há problemas no Porto, com duas partidas e duas chegadas que não se vão realizar. Já na Madeira, há dois voos cancelados, uma chegada e uma partida.

Na origem destas situações estão falta de pessoal, greves e outros fatores externos agravantes, nomeadamente climáticos, relacionados com a Covid-19 ou com imprevistos.

Na resposta enviada à Lusa, a ANA acentua que o "aeroporto de Lisboa implementou medidas para apoiar as companhias aéreas, nomeadamente a instalação de balcões móveis suplementares na área de transferências para reagendamento de voos", tendo também sido reforçadas as equipas de apoio aos passageiros e distribuição de águas.

Neste contexto, a ANA aconselha "os passageiros com voo marcado para hoje, para contactarem as companhias aéreas antes de se deslocarem para o aeroporto".

A Deco instou esta terça-feira o Ministério das Infraestruturas e a Autoridade Nacional da Aviação Civil a intervirem para acautelar os interesses dos passageiros afetados pelos cancelamentos de voos em Lisboa, cujo direito à assistência "não está a ser aplicado".

"Isto não é uma situação nova, uma vez que disrupções e problemas no aeroporto [de Lisboa], infelizmente, têm sido cada vez mais constantes. O que nos preocupa são as respostas que estão sempre a ser dadas aos consumidores e, sobretudo, o facto de estes terem direitos que não são aplicados e de ser necessário ter planos de contingência preparados quer pela infraestrutura aeroportuária, quer pelas próprias transportadoras, para garantir o direito à assistência", afirmou o coordenador do departamento jurídico da Deco - Associação de Defesa do Consumidor em declarações à agência Lusa.

Segundo Paulo Fonseca, na sequência das "várias dezenas" de reclamações de consumidores recebidas durante o passado fim de semana, a associação enviou hoje cartas ao Ministério das Infraestruturas e Habitação e à Autoridade Nacional da Aviação Civil (ANAC) reclamando "uma intervenção célere e eficaz que acautele os interesses dos passageiros através de todos os mecanismos".

"No fim de semana recebemos algumas dezenas de queixas, o que é demonstrativo que os passageiros estão com dificuldade em exercer os seus próprios direitos", avançou à Lusa, precisando que em causa está o Aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, já que "não houve queixas relativamente aos outros aeroportos".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de