Há 280 militares na ilha das Flores a fornecer bens de primeira necessidade

Marinha e Força Aérea estão a ajudar população a recuperar dos danos do furacão Lorenzo.

Já estão na ilha das Flores, nos Açores, os 280 militares que vão ajudar a fornecer os bens de primeira necessidade à população. Ao largo da ilha estão também dois navios da marinha.

Em declarações à TSF, o porta-voz das forças armadas, comandante Pedro Serafim, explicou que começou esta terça-feira o fornecimento de alguns bens essenciais aos habitantes das Flores.

"Quando o navio chegar lá irá desembarcar o material através de pequenas embarcações e meios próprios. Assim chegarão os meios a terra. São bens de primeira necessidade. Hoje foram carregadas botijas de gás", explicou Pedro Serafim.

O porta-voz das forças armadas admitiu que nesta altura ainda não se sabe como fazer chegar o combustível à ilha, depois da destruição do porto durante a passagem do furacão Lorenzo.

"A nossa equipa está a estudar a melhor linha de ação, juntamente com a Secretaria Regional dos Transportes e Obras Públicas dos Açores, que permita fazer chegar o combustível a terra. Tivemos três dias em que as condições atmosféricas estavam pouco favoráveis e acabaram por ter impacto nas operações, mas felizmente correu tudo bem e vamos cumprir aquilo que tínhamos previsto", afirmou o comandante.

A TSF tentou ouvir o presidente da Câmara de Lages das Flores, onde fica o porto destruído pela força do furacão, mas Luís Maciel remeteu esclarecimentos para quarta-feira.

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de