Há 7610 nadadores-salvadores aptos a trabalhar, mas a disponibilidade não é certa

Número de nadadores aptos pode aumentar se for autorizada a reabertura das piscinas, permitindo assim que se realizem os exames práticos dos cursos que foram interrompidos em março.

O Instituto de Socorros a Náufragos tem, este ano, 7610 nadadores-salvadores aptos a trabalharem nas praias portuguesas, um número que decorre da extensão de validade de várias certificações devido à pandemia.

À TSF, o diretor do Instituto de Socorros a Náufragos, comandante Velho Gouveia, explica que embora o número de nadadores-salvadores aptos a trabalhar tenha aumentado, tal não significa que todos estejam disponíveis para fazê-lo, algo que não é diferente do que se verifica noutros anos.

"Nunca sabemos a disponibilidade dos nadadores-salvadores que estão certificados", sublinha o comandante.

Estes nadadores vão ser distribuídos por praias marítimas e fluviais e "eventualmente pelas piscinas, quando abrirem". É precisamente nestes equipamentos que os nadadores salvadores encontram um problema.

A pandemia de Covid-19 interrompeu os cursos de formação que estavam a decorrer em março, pelo que o diretor do ISN pede que as piscinas sejam abertas rapidamente. O objetivo é fazer os exames práticos de final de curso, aumentando assim o número de nadadores-salvadores habilitados, algo que seria "muito importante".

Tudo isto "dependerá do que o Governo e autoridades de Saúde entenderem", mas certo é que os exames "têm de ser feitos em piscina.

A época balnear começa oficialmente a 6 de junho, com o regresso oficial às praias a ter de ser feito mediante as regras de segurança estabelecidas para combater a Covid-19. Recorde-as aqui:

LEIA AQUI TUDO SOBRE O NOVO CORONAVÍRUS

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de