Há menos agentes disponíveis que no anterior confinamento. PSP terá de fazer "sacrifícios"

Sindicato diz que será necessário aumentar a carga horária para assegurar a fiscalização durante o novo confinamento.

Os agentes da PSP esperam um aumento de trabalho com o novo confinamento geral, a partir das 00h00 de dia 15 de janeiro.

Em declarações à TSF, o presidente do Sindicato Nacional da Polícia (SINAPOL) afirma que o número de horas de serviço vai aumentar, até porque o número de agentes disponíveis é inferior ao de março do ano passado, durante o primeiro confinamento.

Há 200 operacionais da PSP a frequentar um curso de formação em Torres Novas, explica Armando Ferreira, o que quer dizer que haverá menos agentes no terreno.

"É sempre com sacrifício de horário, de mais horas de trabalho, que os polícias de Portugal irão trabalhar neste novo confinamento", lamenta.

O presidente do SINAPOL acredita que as ações de fiscalização vão ser semelhantes às do primeiro confinamento.

A PSP estará presente na via pública para verificar se os cidadãos em circulação têm justificação para o fazer. Quando "se verifique que há algum exagero pode partir-se para aplicação de coimas", alerta Armando Ferreira.

O valor das coimas para o não cumprimento das medidas adotadas para o período de confinamento devido à pandemia de Covid-19, como as deslocações não autorizadas e a obrigatoriedade do uso de máscara na via pública, vai duplicar.

LEIA AQUI TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Recomendadas

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de