Há menos quatro mil pessoas à espera de cirurgia aos olhos do que em 2020

Algarve, Grande Lisboa, Coimbra, Viseu e Vila Real são as regiões em que os doentes esperam durante mais tempo por uma operação.

O número de pessoas à espera de uma cirurgia oftalmológica caiu entre 2020 e 2021. Há um ano, havia 57 mil utentes a aguardar a chamada do bloco operatório, mais quatro mil (53 316) do que em abril deste ano.

No entanto, na região de Lisboa e Vale do Tejo as listas de espera aumentaram 46%, ao longo do último ano, ou seja, em Lisboa há agora mais de vinte mil pessoas à espera de serem chamadas, quase metade do total nacional, segundoos números do ministério da saúde, aos quais o Jornal de Notícias teve acesso.

Algarve, Grande Lisboa, Coimbra, Viseu e Vila Real são as regiões em que os doentes esperam durante mais tempo por uma operação.

O prazo limite estabelecido por lei para a espera dos doentes não prioritários é de seis meses, mas no hospital de Faro há utentes que aguardam durante um ano e três meses. Em Viseu e em Setúbal o tempo de espera é de doze meses.

Para tentar encurtar estes prazos de espera, o Ministério da Saúde tem emitido vales de cirurgia que permitem a quem os recebe optar por hospitais, públicos, privados ou geridos por misericórdias.

Só há custos para o doente nos casos em que este escolhe um hospital que não consta da lista que lhe é disponibilizada.

Até abril o Serviço Nacional de Saúde emitiu duas mil notas de transferência e quase onze mil vales de cirurgia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de