"Há tempo para tudo." Os alunos geniais da Universidade do Porto

São sete os alunos que este ano entraram na Universidade do Porto com uma média de 20 valores, média do secundário e nota dos exames.

É um número recorde de estudantes a serem admitidos com a nota máxima. Ao contrário do que seria esperado, não escolheram os cursos com as notas mais altas, como medicina ou engenharias, optaram por Artes Plásticas, direito, arquitetura, física, matemática, informática e gestão.

"Tentar conciliar os estudos e o resto é sempre difícil, mas há tempo para tudo", palavras de Catarina Machado, que tem 18 anos e é caloira do curso de Artes Plásticas, na Faculdade de Belas Artes da Universidade do Porto. Catarina não tem dúvidas de que o segredo para o sucesso vai muito além do estudo. "Há muitos que pensam que o sucesso académico vem de meia dúzia de crianças com capacidades acima da média, mas eu acho que o nosso sistema de ensino olha a determinadas qualidades. Eu também tive sorte, porque muitas das minhas qualidades foram ao encontro do que o ensino publico pede. Mas também há fatores externos à escola, eu, por exemplo, tive pais que sempre me apoiaram".

Catarina Machado completou o secundário na Escola Artística Soares dos Reis, sempre soube a área profissional que queria seguir.

João Passadiço também regista a média máxima, optou pela licenciatura em Matemática, na Faculdade de Ciências da Universidade do Porto. "Começa pelo esforço, atenção nas aulas, tentar estar sempre atualizado em relação à matéria dada nas aulas. Mas também é importante a questão do desporto, estar sempre ativo e ter outros hobbies como ouvir música ou ler".

Beatriz Silva vive em Vila do Conde e acaba de entrar na Faculdade de Direito da Universidade do Porto. "Eu não acredito num segredo para todos os alunos, mas para mim foi a paixão. Adoro estudar e aprender, há tempo para tudo. Temos sempre que reservar tempo para estudar, mas saio com os meus amigos e participo nas atividades do grupo de escuteiros".

Beatriz não esconde que sente o peso da responsabilidade de ser uma aluna de excelência. "É impossível não sentir que temos sempre que dar o melhor de nós, mas não é nenhum sacrifico" e, no futuro, diz que espera o melhor. "Estou muito entusiasmada e espero que o melhor aconteça", conclui.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de