"Histórias ao ouvido", para esquecer os dias no hospital

"Histórias ao ouvido" é o nome do projeto que todos os dias leva livros e histórias às crianças e adolescentes internados no Centro Materno Infantil do Norte. O projeto existe desde 2007 e conta com seis voluntários. A leitura é o pretexto para uma viagem que atravessa as paredes do hospital.

A Mariana e o Martim brincam enquanto Teresa Madureira escolhe o livro.

Todos os dias um grupo de voluntários lê "Histórias ao Ouvido" no Centro Materno Infantil do Norte. O projeto existe desde 2007, é uma iniciativa do serviço educativo do CMIN, das Bibliotecas Municipais do Porto e do Museu da Cidade. Para o diretor, Jorge Sobrado, esta é uma forma de mostrar a importância do livro nas diferentes circunstancias.

"O livro é um fator de terapia, de cura, é um contacto com o mundo, com outro e de descoberta de nós próprios. Portanto, é uma janela, é uma interpelação, é um desafio e uma experiência. O município do Porto entende que as bibliotecas cumprem também aqui a sua missão, as bibliotecas municipais cumprem também fora de portas a sua missão animando a leitura e levando a experiência do livro".

O projeto "Histórias ao Ouvido" já chegou a mais de 700 crianças e adolescentes em mais de 300 ações. Teresa Madureira era professora do 1º ciclo de Educação Especial e é voluntária desde 2007. " Às vezes é uma conversa com os pais também, um bocadinho atenuar... é sempre doloroso estar aqui com um filho não e ainda por cima o filho doente. Eu digo muitas vezes que venho aqui, mas a mim também me faz bem, não é só fazer bem aos meninos, também me faz bem a mim".

A Carla Neves é mãe da Mariana e a Rita Sousa, mãe do Martim, ambas conseguiram esquecer por alguns minutos que têm os filhos internados num hospital.

Ana Paula Martins faz parte do serviço educativo do Centro Materno Infantil do Norte e explica que o "Histórias ao Ouvido" desperta o gosto pela leitura. "Acompanha-nos diariamente com livros, hora do conto, histórias, oficinas e empréstimo de livros. O impacto tem sido muito positivo, "a maior parte das vezes é um alívio, um momento de evasão para tudo o que possam estar passar".

Helena Vieira é educadora de infância, faz parte do serviço educativo das Bibliotecas Municipais do Porto e diz que o livro é uma viagem ao exterior. "A proximidade que não podem ter com outros meninos, o facto de estarem longe da família, a nossa presença vem quebrar a rotina de uma forma lúdica e enriquecedora".

"Histórias ao ouvido" um projeto do CMIN, do Museu da Cidade e das Bibliotecas Municipais do Porto. Quem quiser juntar-se a este projeto, pode inscrever-se na Rede Local de Voluntariado.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de