Hospital de campanha aberto na Cidade Universitária. Pode receber até 58 doentes

Nesta primeira fase, o novo hospital de campanha vai receber pacientes vindos de hospitais da Grande Lisboa.

O hospital de campanha instalado na Cidade Universitária vai começar a receber doentes ligeiros ou em recuperação da Covid-19. Os primeiros dez doentes chegam este sábado à unidade e, no domingo, deverão chegar mais dez, adiantou à TSF o coordenador da estrutura hospitalar de contingência de Lisboa.

"A partir de hoje, já vamos começar a receber doentes provenientes de hospitais da região de Lisboa. Em princípio, serão dez doentes. Amanhã, receberemos mais dez doentes e, durante a próxima semana, iremos [receber] sucessivamente até atingir a lotação máxima de 58 semanas", adiantou António Diniz, em declarações à TSF.

De acordo com o médico, este hospital de campanha vai aliviar a pressão nos hospitais de referência, mantendo sob vigilância doentes que ainda não podem ter alta e regressar a casa.

"A situação nos hospitais, nomeadamente em Lisboa, está a tornar-se muito complicada ou mesmo de rutura. Nesse sentido, esta estrutura foi desenhada para poder receber doentes provenientes do hospital que apresentem ainda alguma alteração, mas que não tenham gravidade suficiente para ficar numa unidade tão diferenciada como as dessas unidades hospitalares, mas que, por outro lado, ainda não têm condições de ter alta clínica", explicou António Diniz.

"Este é o grande objetivo: ao libertarmos um doente com essas características - que ainda fica aqui quatro ou cinco dias -, a verdade é que libertamos uma cama nos hospitais por quatro ou cinco dias, onde pode entrar outra pessoa que tenha critérios de maior gravidade", frisou.

O hospital de campanha criado na Cidade Universitária tem capacidade total para acolher 58 doentes. Deverão ser recebidos, preferencialmente, doentes dos hospitais da região da Grande Lisboa em situação de maior depressão, mas não é descartada a hipótese de vir a auxiliar hospitais de outras zonas do país.

A Norte, o centro hospitalar de Vila Nova de Gaia-Espinho abriu, este sábado, uma enfermaria com 33 camas para doentes Covid-19. O espaço, para onde já foram transferidos dois doentes, é a terceira enfermaria aberta neste centro hospitalar.

LEIA TUDO SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de