IL quer partidos a decidir se o dia de reflexão é eliminado a tempo das autárquicas

O objetivo, explica João Cotrim Figueiredo, é "fazer com que os partidos assumam as suas responsabilidades de decidir esta matéria no último momento útil a tempo das autárquicas".

A Iniciativa Liberal vai forçar os partidos a decidir se o dia de reflexão nas eleições é para se manter. O assunto não foi englobado no texto consensualizado na primeira comissão sobre alterações à lei autárquica. Por isso mesmo, João Cotrim de Figueiredo mantém a proposta da Iniciativa Liberal para que os partidos se pronunciem na votação em plenário.

O objetivo, explica João Cotrim Figueiredo, é "fazer com que os partidos assumam as suas responsabilidades de decidir esta matéria no último momento útil a tempo das autárquicas".

No mesmo plano, o comentador Paulo Baldaia considera que "a iniciativa liberal tem razão quando diz que ou se faz agora ou vamos ter uma eleições autárquicas em que já não faz sentido utilizar esse dia, por exemplo, para alargar o período de votação que é uma matéria que não é consensual, mas que importa discutir".

Para o jornalista, "o dia de reflexão já faz pouco sentido".

"Aquilo que sabemos hoje, e que vários estudos de opinião mostram, é que há cada vez menos pessoas a aproveitar esse dia para decidir o seu voto e, acima de tudo, para alterar o voto que pudessem ter na véspera", remata.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de