Incêndio a bordo de navio mercante nos Açores diminuiu de intensidade

Embarcação emitiu na quarta-feira um alerta, por ter "fogo ativo no porão de carga".

O incêndio ativo desde quarta-feira a bordo do navio mercante Felicity Ace, ao largo da ilha do Faial, nos Açores, diminuiu de intensidade nas últimas horas, revelou este domingo o capitão do Porto da Horta, Mendes Cabeças.

"O incêndio diminuiu de intensidade nas últimas horas. Existem apenas pequenos focos de incêndio espalhados pelo navio, mas já não com aquela intensidade inicial", disse à agência Lusa o capitão do Porto da Horta, adiantando que esta alteração nas condições do incêndio resulta do facto de "a matéria a bordo já se ter consumido e de, portanto, não haver mais matéria para arder".

A embarcação, que transportava cerca de quatro mil automóveis, que se destinavam ao mercado norte-americano, emitiu na quarta-feira um alerta, por ter "fogo ativo no porão de carga", numa altura em que se encontrava a cerca de 90 milhas náuticas (cerca de 170 quilómetros) a sudoeste da ilha do Faial, nos Açores.

Os 22 tripulantes que estavam a bordo do Felicity Ace foram resgatados em segurança, no mesmo dia, pela Força Aérea Portuguesa, enquanto a Marinha fez deslocar para o local o navio de patrulha oceânico NPR Setúbal, para acompanhar a evolução do acidente.

"A nossa preocupação tem sido com a poluição, uma vez que o navio tem a bordo grandes quantidades de combustível, além das baterias dos automóveis, mas até agora não se registou nenhum foco de poluição", garantiu Mendes Cabeças.

Com a redução da intensidade do incêndio, as autoridades ponderam agora permitir a ida a bordo dos técnicos de uma empresa holandesa, contratada pelo armador, para iniciarem os procedimentos necessários ao reboque do navio, que poderá regressar à Europa, de onde tinha partido para uma travessia do Atlântico, ou seguir até às Bahamas.

Além do navio de patrulha da Marinha, está também no local o rebocador Thor B, que tinha sido contratado pelo Governo dos Açores para garantir o transporte de mercadorias entre as ilhas do Grupo Central e Ocidental, que tem estado a fazer o "arrefecimento" do casco do Felicity Ace, de forma a facilitar a ida a bordo dos técnicos.

O capitão do Porto da Horta aguarda a chegada à ilha do Faial, ainda durante este domingo, de um rebocador holandês, o ALP Guard, proveniente de Gibraltar, que irá transportar mais técnicos até ao local do acidente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de