Incêndio em Castelo de Paiva. Empresas afetadas à espera de ajudas três meses depois

Câmara pediu isenções de Segurança Social para as empresas.

Passados três meses do incêndio na zona industrial de Castelo de Paiva, o presidente da câmara, Gonçalo Rocha, continua à espera que seja publicada uma portaria com ajudas às nove empresas afetadas pelo fogo. O Conselho de Ministros aprovou medidas de apoio a 13 de agosto, mas até agora ainda não subiu a portaria.

"O que está de facto muito atrasado e a provocar grandes dificuldades às empresas é a questão da publicação da portaria que define um conjunto de medidas de apoio no âmbito da Segurança Social. Efetivamente, essa portaria está a pecar por muito tardia e, nesse sentido, está a gerar de facto uma grande dificuldade nas empresas", explicou à TSF Gonçalo Rocha.

A câmara pediu isenções de Segurança Social para as empresas, mas o autarca não tem a certeza de que isso vá acontecer nesses moldes.

"Objetivamente colocamos a possibilidade de a isenção ser atribuída, nesta fase, até que as instalações estejam recuperadas do caso. Depois disso haver uma contribuição progressiva por parte das empresas mas, como lhe disse, também não quero estar a adiantar porque desconheço, por completo, o que lá está escrito", acrescentou o presidente da Câmara de Castelo de Paiva.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de