Incêndio no concelho de Odemira dominado esta tarde

Às 18h55, encontravam-se ainda envolvidos no combate ao fogo, 652 operacionais, apoiados por 218 viaturas e cinco meios aéreos.

O incêndio que deflagrou ao início da tarde de quarta-feira na zona de Sabóia, no concelho alentejano de Odemira, foi considerado dominado às 18h40 desta quinta-feira, revelou a Proteção Civil.

Contactado pela agência Lusa, o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Beja indicou que o fogo "entrou em resolução", ou seja, ficou dominado, "às 18h40".

De acordo com a página na Internet da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC), encontravam-se ainda envolvidos no combate ao fogo, às 18h55, 652 operacionais, apoiados por 218 viaturas e cinco meios aéreos.

Em declarações aos jornalistas, o segundo Comandante Operacional das Operações de Socorro do Alentejo
José Guilherme fez contas à área do incêndio e ao que conseguiram salvar. "A área que apurámos tem cerca de 1100 hectares, com um perímetro estimado de 20 quilómetros. Pelas previsões que tínhamos este incêndio tinha um potencial de dano que poderia chegar a cerca de seis mil hectares", adiantou.

O incêndio, que deflagrou pouco depois das 13h00 de quarta-feira, junto ao lugar de João Martins, na freguesia de Sabóia, já consumiu "largas centenas de hectares", numa zona de povoamento misto, com mato, eucaliptos, montado de sobro e pinheiros, revelou hoje a Proteção Civil, numa primeira estimativa sobre a área ardida.

O levantamento mais rigoroso da área ardida no concelho de Odemira ainda vai ter de ser efetuado pela GNR.

A operação de combate tem estado a envolver meios dos bombeiros e da Força Especial de Proteção Civil, assim como a AFOCELCA, GNR e Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF).

A partir das 19h00, está marcado novo ponto de situação do incêndio pela Proteção Civil, numa conferência de imprensa na Junta de Freguesia de Sabóia.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de