INEM passa a assegurar o transporte de suspeitos de coronavírus em Faro e Coimbra

O reforço do transporte com mais duas equipas, uma em Faro e outra em Coimbra, vigora desde quarta-feira.

Coimbra e Faro passaram a ter equipas do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) para transportar para os hospitais de referência as pessoas suspeitas de estarem infetadas com o novo coronavírus (2019-nCoV), anunciou esta quinta-feira a entidade.

O reforço do transporte com mais duas equipas, uma em Faro e outra em Coimbra, vigora desde quarta-feira e foi anunciado esta quinta-feira pelo presidente do INEM, Luís Meira, numa conferência de imprensa, em Lisboa, onde foi feito um novo balanço sobre a infeção pelo 2010-nCov, detetado na China em dezembro.

Antes, o transporte para os hospitais de referência das pessoas suspeitas de estarem infetadas com o novo coronavírus era apenas assegurado por duas equipas em Lisboa e no Porto. De acordo com as orientações da Direção-Geral da Saúde (DGS), os casos suspeitos, que são validados por três médicos, são encaminhados pelo INEM para três hospitais de referência: Hospital Curry Cabral e Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, e Hospital S. João, no Porto.

Os quatro casos suspeitos que foram validados até à data em Portugal deram resultados negativos para a presença do novo coronavírus, que pode provocar pneumonias virais. Luís Meira, que falava na sede da DGS, acompanhado pela diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, disse que o "reforço de medidas está a ser preparado e planeado" em consonância com a evolução do surto, negando a falta de material de proteção para as equipas que asseguram o transporte para os hospitais de referência.

A China elevou esta quinta-feira para 563 mortos e mais de 28 mil infetados o balanço do surto do coronavírus 2019-nCoV, identificado em dezembro na cidade de Wuhan, colocada sob quarentena. Além do território continental da China e das regiões de Macau e Hong Kong, há casos de infeção confirmados em mais de 20 países.

A Organização Mundial de Saúde declarou há uma semana o surto do novo coronavírus uma emergência de saúde pública internacional devido ao risco elevado de propagação do 2019-nCoV à escala global. A emergência internacional supõe a adoção de medidas de prevenção e coordenação em termos mundiais.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG

Patrocinado

Apoio de