Infarmed manda retirar medicamentos com ranitidina usados para azia e úlceras

Em causa está a presença de uma impureza na substância ativa.

A Autoridade Nacional do Medicamento (Infarmed) mandou recolher vários lotes de medicamentos para tratar a azia e úlceras que contêm ranitidina, por terem detetado uma impureza, N-Nitrosodimethylamine (NDMA), na substância ativa.

O Infarmed determina assim "a recolha e suspensão imediata da comercialização" dos lotes de medicamentos descritos neste anexo. Num comunicado publicado no site do Infarmed , a autoridade explica que "o motivo desta determinação decorre da presença em alguns lotes da referida impureza, da classe das nitrosaminas, já identificada em 2018 em alguns fármacos anti-hipertensores".

As entidades que possuam embalagens destes lotes em stock "não as podem vender, dispensar ou administrar, devendo proceder à sua devolução". No mesmo plano, "os doentes que disponham de embalagens pertencentes a estes lotes devem contactar o farmacêutico para as poderem substituir por uma embalagem de outro lote ou o médico no caso de ser prescrito um medicamento alternativo".

Existem alternativas para estes medicamentos, que podem ser consultadas no Formulário Nacional de Medicamentos , lembra o Infarmed.

A prescrição de ranitidina "deve ser ponderada", acrescenta o Infarmed, "tendo em conta que deverá ser reservada para doentes em que seja considerada imprescindível, nomeadamente nos que têm de ser pré-medicados com corticosteroides, anti-histamínicos e antagonistas dos recetores H2 como sejam os doentes em que se administre paclitaxel".

Patrocinado

Apoio de

Patrocinado

Apoio de